Eu tenho artrite reumatóide. E agora?

0
214

Autoria: Licia Maria Henrique da Mota
25/04/2011

Você procurou o médico queixando-se de dor e inchaço nas articulações, dificuldade de movimentar as juntas ao acordar pela manhã ou após períodos de repouso durante o dia. O médico lhe examinou, detectou que as articulações estavam realmente inflamadas, solicitou alguns exames, e, após isso, informou-lhe: você tem uma doença chamada artrite reumatóide.

Nesse momento, várias dúvidas podem lhe ocorrer: “Eu tenho artrite reumatoide, e agora? O que é essa doença? Vou ficar deformado (a)? Por que eu desenvolvi esse tipo de artrite? Qual a causa? Tem cura? Vou morrer por causa da artrite? Como é o tratamento? Por quanto tempo vou precisar tomar remédios? Há alguma terapia “natural” ou “alternativa” para a doença? Há algum tipo de alimentação que cause ou piore a artrite? Posso trabalhar normalmente? Posso ter filhos? Meus filhos também vão desenvolver artrite reumatoide? Posso fazer exercícios físicos? Posso tomar vacinas? Minha vida vai mudar por causa da doença?”

As dúvidas e incertezas são frequentes ao se receber o diagnóstico de uma doença crônica como a artrite reumatóide. A educação do paciente e de seus familiares é de grande importância para o resultado do tratamento.

É essencial orientar o paciente quanto à natureza crônica do processo inflamatório, à necessidade de tratamento adequado e de re-avaliações frequentes do estado de atividade da doença. A informação de qualidade tranquiliza o paciente e sua família, melhora o vínculo médico-paciente e aumenta a adesão à terapêutica instituída.

Há que se considerar, além da orientação pelo contato direto com o médico ou outro profissional da saúde, a obtenção de conhecimento via internet. Deve-se sugerir para o pacientes fontes de boa qualidade, evitando assim o acesso à informação inadequada ou prejudicial.

A decisão compartilhada quanto ao tratamento deve ser estimulada – isso é, se o paciente tiver informação suficiente sobre a doença, ele terá condições de discutir com seu médico sobre as melhores opções terapêuticas.

A Sociedade Brasileira de Reumatologia, através da Comissão de Artrite Reumatoide, disponibiliza para os pacientes e seus familiares, em seu website, uma série de textos sobre a artrite reumatoide, incluindo informações sobre diagnóstico, tratamento e acompanhamento.

Os textos a seguir têm a finalidade de responder algumas das frequentes questões anteriormente apresentadas, em linguagem fácil, direta e acessível. Foram escritos por médicos especializados no assunto, reumatologistas com grande experiência no diagnóstico e tratamento da artrite reumatoide. A melhor informação, contudo, provém do médico que acompanha cada caso – ele conhece as particularidades de seu paciente e do comportamento da doença naquela situação.

“Eu tenho artrite reumatoide – e agora?” A artrite reumatoide é uma doença crônica e potencialmente deformante, mas, com diagnóstico precoce e tratamento adequado, grande parte das deformidades e limitações decorrentes dessa condição podem ser evitadas.Esperamos com essa iniciativa informar de maneira adequada e dirimir, ao menos em parte, as dúvidas daqueles que recebem o diagnóstico dessa doença.
Licia Maria Henrique da Mota
Coordenadora da Comissão de Artrite Reumatoide da Sociedade Brasileira de Reumatologia