SBR no Bem-Estar Global de Curitiba

0
235

 

Especialistas da Sociedade Brasileira de Reumatologia e da Sociedade Paranaense de Reumatologia darão ênfase também em OSTEOPOROSE, ARTROSE, ARTRITE REUMATOIDE, FIBROMIALGIA entre outras doenças reumáticas com atendimento clínico e informações sobre prevenção, diagnóstico e tratamentos

Curitiba, fevereiro de 2016_A Sociedade Brasileira de Reumatologia (SBR) participa da ação Bem Estar Global Curitiba,  da TV Globo, em São José dos Pinhais, região metropolitana de Curitiba/PR, no próximo dia 26 de fevereiro (sexta-feira), com especialistas prestando atendimento clínico e dando informações sobre as principais doenças reumáticas. O objetivo é conscientizar sobre as doenças reumáticas e verificar se as pessoas são portadoras ou estão em grupos de riscos, além de orientar e encaminhar os casos indicados aos serviços de referências.

Os especialistas que estarão na tenda da SBR sob a coordenação do reumatologista Dr. Marco Antonio da Rocha Loures, presidente da Sociedade Paranaense de Reumatologia e presidente da Comissão de Doenças Osteometabólicas e Osteoporose da Sociedade Brasileira de Reumatologia (SBR), darão ênfase também na conscientização e no esclarecimento sobre dores nas articulações, que são sintomas comuns relacionados com as doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti como a dengue e a febre chikungunya.

O evento aberto ao público e gratuito será no Parque São José (entre a Av. das Torres Av. Mal. Floriano e Rio Iguaçu – São José dos Pinhais – região Metropolitana de Curitiba), das 08h às 17h.

A SBR distribuirá durante todo o evento, gratuitamente, cartilhas sobre as principais doenças reumáticas. De fácil leitura, os materiais destacam sintomas das doenças, formas de tratamentos e dicas de prevenção.

Casos de dengue no Paraná

O número de casos de dengue no Paraná teve um aumento de 23% comparado ao último informe técnico divulgado na semana passada. O boletim divulgado pela segundo a Secretaria da Saúde do Estado do Paraná, nesta terça-feira (16), contabiliza 5.541 casos, sendo 1.070 novas confirmações.

A artralgia, ou seja, dor nas articulações, e eventualmente a Artrite Reumatoide, que é o inchaço (dor e edema) das articulações, pode ser uma manifestação de diversas infecções por vírus, incluindo as infecções denominadas arboviroses, entre as quais se incluem a dengue e a febre Chikungunya. De acordo com os especialistas da SBR é de extrema importância observar a evolução do quadro de dor, até para fazer o diagnóstico diferencial com outras doenças que apresentam sintomas parecidos.

Na maioria dos pacientes, a infecção por Chikungunya causa febre, erupção cutânea e dor articular grave nas mãos, pés, joelhos, e cotovelos. A febre e erupção, geralmente, desaparecem em sete a dez dias, mas os sintomas de dor e inchaço nas articulações podem persistir por um período mais prolongado, de mais de um ano. Há descrição de casos com anos de evolução.

O paciente sempre deve procurar o auxílio médico, e não deve recorrer a auto-medicação. O uso de anti-inflamatórios e de aspirina podem agravar o quadro na fase aguda, e o tratamento deve sempre ser orientado por um médico.

Doenças de maior prevalência na Reumatologia

Os especialistas da SBR também darão muita ênfase durante a ação para as doenças reumáticas de maior prevalência na população, entre as quais Osteoporose, Fibromialgia, Artrite Reumatoide e Osteoartrite (Artrose).

A Osteoartrite ou popular Artrose é a maior causa de doença nas juntas e uma das principais causas de invalidez em pessoas acima de 60 anos de idade. As juntas mais envolvidas são as da coluna, dos joelhos, mãos e quadril. Não se sabe a causa e não se tem a cura, como quase em todas as doenças crônicas. Mas o tratamento pode melhorar muito a qualidade de vida das pessoas com Osteoartrite.

  • No Brasil, mais de 12 milhões de pessoas sofrem com as doenças reumáticas.
  • São mais de 120 tipos de doenças reumáticas (entre eles Osteoporose, Lúpus, Osteoartrite (Artrose), LER, Artrite Reumatoide, Fibromialgia, Gota, entre outras), que hoje são uma das principais causas de afastamento do trabalho no País.
  • Estimativas da Sociedade Brasileira de Reumatologia (SBR) apontam que somente a fibromialgia já atinge 3% da população e a artrite reumatoide, que provoca inflamação nas juntas, acomete cerca de 2 milhões de brasileiros; a osteoporose, mundialmente, afeta uma em cada três mulheres e um em cada cinco homens acima da idade dos 50 desenvolvem a doença
  • Estima-se que em 2020 o Brasil terá 30 milhões de idosos

Cenário da doença Osteoatrite (Artrose) de acordo com as conclusões dos especialistas (estudo Cenário Atual & Tendências da OA no Brasil)

• Com base nos dados do IBGE (Censo 2010) estima-se que 5,2% da população brasileira é acometida pela Osteoartrite

• A Osteoartrite é a mais comum das formas de artrite; pacientes com Osteoartrite podem ter outras artrites e doenças concomitantes e isso pode alterar o tratamento

• A doença é mais prevalente nas faixas etárias acima dos 40 anos, especialm ente na população acima dos 60 anos

• Mulheres são mais afetadas pela Osteoartrite. Não se sabe ao certo sobre o porquê da patologia ser mais prevalente no sexto feminino. Acredita-se que após a menopausa com a queda dos níveis estrogênicos já implicada nas formas de Osteoartrite das mãos entre como um dos fatores que aumente a incidência desta doença

• Os especialistas apontam que apenas 55% dos pacientes com Osteoartrite estão diagnosticados.

•Como exemplo de Osteoartrite, temos:

– Osteoartrite das mãos: são alterações nas juntas dos dedos, mais comuns entre a última falange e a falange do meio, mas também podem ocorrer entre a falange do meio e a primeira falange. Formam-se nódulos, geralmente dolorosos com pancadas mínimas, muitas vezes doendo mais pela manhã, ao acordar, além de apresentar inchaço e deformidades, com desvio dos dedos;

– Osteoartrite da coluna: aqui temos como forma muito comum os “bicos-de-papagaio”. São mais comuns nas regiões cervical (pescoço) e lombar, que são as de maior mobilidade da coluna;

 – Osteoartrite dos joelhos e do quadril: são uma forma muito comum, principalmente em joelhos, causando muita dor, crepitação (estalos),deformidades, inchaço e são causa importante de dificuldade para locomoção. A Osteoartrite do quadril pode às vezes ocorrer de forma relativamente rápida e, em alguns casos, requerer a substituição cirúrgica da articulação do quadril por uma prótese.

• O diagnóstico do Osteoartrite é feito pelo médico reumatologista que reconhece os sintomas característicos da doença por exames clínicos com associação a exames de imagens. O Raio X é, em geral, o suficiente para confirmar o diagnóstico quando a doença já está instalada.

Cenário da doença Osteoporose:

• Osteoporose é uma doença que pode atingir todos os ossos do corpo, fazendo com que fiquem fracos e com possibilidade de quebrarem aos mínimos esforços.

• Os principais tipos de Osteoporose são:

– Osteoporose pós-menopausa: atinge mulheres após a menopausa. Fratura de coluna pode ocorrer.

– Osteoporose senil: atinge pessoas com mais de 70 anos. Tanto a fratura de coluna quanto a de quadril podem ocorrer.

– Osteoporose secundária: atinge pessoas com doença renal hepática, endócrina, hematológica ou que usam alguns medicamentos, por exemplo, corticóides.

•Há um conjunto de fatores que influenciam e favorecem o desenvolvimento da Osteoporose.

– Menopausa: com a interrupção da menstruação, ocorre diminuição dos níveis de estrógeno (hormônio feminino), que é fundamental para

manter a massa óssea.

– Envelhecimento: a perda de massa óssea aumenta com a idade.

– Hereditariedade: a Osteoporose é mais frequente em pessoas com antecedentes familiares da doença.

-Dieta pobre em cálcio: o cálcio é fundamental na formação óssea. Sua obtenção a partir da alimentação é imprescindível para prevenir a Osteoporose.

– Excesso de fumo e álcool: tem-se observado maior incidência de Osteoporose entre as pessoas que consomem álcool e fumo em excesso.

– Imobilização prolongada: o exercício físico constitui um importante estímulo para a formação e o fortalecimento dos ossos. Grandes períodos de imobilização e a falta de exercícios podem levar à Osteoporose.

– Medicamentos: alguns medicamentos, como os corticóides, em tratamentos de longa duração favorecem a redução da massa.

Serviço: SBR no Bem Estar Global

Dia 26 de fevereiro de 2016 – Das 8h às 17 horas

Endereço: Parque São José (entre a Av. das Torres Av. Mal. Floriano e Rio Iguaçu – São José dos Pinhais – região Metropolitana de Curitiba – PR)

 

Saiba mais:

O que é reumatologia?

É a especialidade médica que estuda, diagnostica e trata uma série de moléstias relacionadas ao comprometimento do sistema músculo-esquelético e dos tecidos conjuntivos podendo ser subdividida em outras áreas de atuação como: Doenças difusas do tecido conjuntivo, vasculites sistêmicas, espondiloartropatias, doenças osteometabólicas, degenerativas, articulares causadas por microcristais, artropatiasreativas, reumáticas associadas a processos infecciosos, reumatismos extra-articulares, artrites intermitentes eartropatias secundárias a outras enfermidades não reumáticas.

Sobre a Sociedade Brasileira de Reumatologia (SBR)

Fundada em 1949 pelos médicos Dr. Herrera Ramos, Dr. Valdemar Bianchi, Dr. Pedro Nava, Dr. Israel Bonomo e Dr. Décio Olinto, a Sociedade Brasileira de Reumatologia (SBR) tem como missão promover a excelência da Reumatologia mediante incentivo ao ensino, à pesquisa e à assistência e contribuir para a formulação de políticas públicas, visando à saúde e ao bem-estar do paciente reumático. Congregar os reumatologistas e promover, divulgar e ampliar a abrangência do exercício da especialidade. Sem fins lucrativos e filiada à Associação Médica Brasileira (AMB), a SBR tem hoje mais de 1500 associados, 25 sociedades regionais filiadas e 24 assessorias e comissões científicas, que atuam nas várias expressões dessa especialidade médica. A SBR luta para promover a saúde da comunidade, contribuindo para a formulação de políticas públicas, bem como aprimorar os conhecimentos em reumatologia, estimulando os médicos-pesquisadores com prêmios, bolsas de estudo e financiamento de pesquisa. Outras informações:www.reumatologia.org.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here